Vida microscópica

Vida microscópica – Ameba encontra Stentor

Ameba encontra Stentor

Ao ver o vídeo da ameba entrelaçada com o Stentor)? É difícil pensar que não há intencionalidade alguma naquilo tudo, que é tudo automático. É possível, mas envolve entender que aquilo que usualmente chamamos de “consciência” – a mente que olha pelos olhos como se fossem janelas abertas para um lá fora – é uma ilusão criada pela sequencia de episódios que vivemos  na linguagem humana. Claro, esta ilusão não existe para os protozoários, nem para outros seres vivos não humanos, nem para seres humanos ainda em formação e para os já muito decrépitos. Mas existe para nós e, então, o entrelaço da ameba com o Stentor nos parece misterioso. Como aquilo poderia se passar sem uma consciência, um a intencionalidade ainda que opaca?  Quer dizer, como seres vivos somos muito mais parecidos com os demais seres vivos do que ousamos admitir. Mas temos essa ilusão de sermos diferentes.

Em uma canção sobre a humanidade, que fiz com um colega da UFF (Jorge da Silva Paula Guimarães), o estribilho diz:

“No fundo da alma o sonho perdido
nos olhos a crença de nunca ter sido
nas mãos a resposta sem nunca saber”