René Dubos

Dubos: como um cowboy

René Dubos (1996) The mirage of health, Utopias, progress and biological change.
New Brunswich, New Jersey; Rutgers University Press. p.161-162

“Como já vimos e discutiremos novamente no próximo capítulo, as características do ambiente total – físicas e sociais – determinam em grande parte o tipo de doenças mais prevalentes em uma dada comunidade. A crença de que a doença pode ser conquistada pelo uso de drogas desconsidera as dificuldades que surgem da complexidade ecológica dos problemas humanos. É um atitude comparável a filosofia ingênua que permeia os filmes de cowboy na conquista do oeste norteamericano. Na cidadezinha de fronteira infestada pelo crime, o herói, sozinho, destrói os bandoleiros que infernizavam a localidade. A história tem um final feliz porque parece que a paz foi restaurada. Mas, na realidade a morte dos vilões não resolve o problema fundamental, porque o apodrecimento das condições sociais que abriram a cidade aos bandoleiros permitirão a chegada de outros, a menos que alguma coisa seja feita para corrigir a fonte primária do problema. O herói deixa a cidade sem fazer nada em relação a este problema muito mais complexo; de fato, ele não dispõe de armas para lidar com ele e nem sequer se apercebe de sua existência.”