Contos

Sonho

Sonho

Não sei o que o sonho foi, mas sei onde ele doi. Ela estava lá e eu estava em pânico de voltar a encontrá-la.  Estava lá em um grupo de pessoas, que não sei quem eram, mas estavam com ela, e isso bastava para me fazer agudamente desconfortável.  O pretexto para nos falarmos era o trabalho dela, mas era um pretexto.  Em um momento ela estava só, afastada do grupo e eu lhe falava e ela respondia. Mas já não podia vê-la, e tudo mudava depressa, e quando a pude ver, não era mais ela, era outra, e mais outra ainda, com um penteado japonês e roupagem de gueixa. Acordei trêmulo e passei o dia como um condenado, temendo que tudo aquilo acontecesse de fato, que eu a encontrasse e ficasse desnorteado como fiquei.